HITS PENTECOSTAIS

Mais de 90 mil cristãos foram mortos em 2016 por seguirem a Jesus Cristo, aponta estudoPor Tiago Chagas -  7 de março de 2017 0

08 MAR 2017
08 de Março de 2017

A revelação do número estarrecedor foi feita por Massimo Introvigne, diretor do Centro Studi sulle Nuove Religioni (CESNUR – “Centro de Estudos sobre as Novas Religiões”, em italiano), à Rádio Vaticano.

Aproximadamente um terço das mortes de cristãos perseguidos em 2016 foram perpetradas por extremistas de outras religiões, como o caso do Estado Islâmico, por exemplo. De acordo com informações do portal Aleteia, houve tamém execuções resultante de perseguição feita por governos.


Introvigne afirmou que aproximadamente 70% dos cristãos mortos em 2016 viviam em áreas tribais da África, e parte dessas mortes se deveu ao fato de os cristãos muitas vezes se negarem a pegar em armas durante conflitos regionais.

O Center for the Study of Global Christianity (“Centro de Estudos sobre o Cristianismo no Mundo”, em inglês) é outra entidade que se dedica ao monitoramento da perseguição religiosa contra cristãos, sempre produzindo estudos com base nos martírios históricos e contemporâneos.

Dados de uma pesquisa recente dessa entidade estimam que, entre 2005 e 2015, houve 900 mil cristãos assassinados ao redor do mundo por causa de sua fé. Segundo este levantamento, devem ser levados em conta argumentos históricos, sociológicos e teológicos na quantificação dos “crentes em Cristo que perderam a vida prematuramente, em situações de testemunho, em decorrência direta de hostilidade humana”.

Massimo Introvigne, na entrevista à emissora da Igreja Católica, destacou que a falta de informações confiáveis sobre os cristãos mortos na Índia e China torna o levantamento impreciso, pois o número de casos nestes dois países poderia evidenciar até um aumento em relação a 2015. Por lá, a Igreja Perseguida vive sob clandestinidade, o que dificulta o conhecimento real dos fatos.


Voltar